O que é Growth Hacking e como aplicar AGORA em sua empresa

GROWTH-HACKING.gif

Termo muito usual em startups e em toda internet, Growth Hacking está realmente na moda, mas afinal:

O que é Growth Hacking?

Sendo bastante objetivo, trata-se de uma metodologia que busca o crescimento da empresa com a combinação dos seguintes elementos:

  1. Criatividade

  2. Conhecimentos de marketing ligados ao desenvolvimento de produtos / serviços

  3. Conexão de seu público-alvo aos seus produtos e serviços

  4. Resultados

Antes de continuarmos, precisamos desmistificar o termo hack. Aqui nada tem a ver com black hats, ações “clandestinas” para quebrar sistemas ou coisas do tipo e sim criar ações ou táticas para crescimento, fora das ações convencionais, seguindo os 4 passos acima descritos.

Daí podemos concluir que, assim como os hackers que procuram os pontos fortes e pontos fracos de um sistema para propor melhorias, um growth hacker deve saber como fazer isso em seu negócio, visando aprimorar produtos e serviços e, sobretudo, seu crescimento, utilizando-se da criatividade, do marketing e da tecnologia a seu favor.

Todas as decisões tomadas por um growth hacker devem ter como foco principal o crescimento de algum indicador que pode ser de visitas no seu site, taxa de abertura e de cliques em emails, engajamento nas redes sociais, geração de leads, taxa de conversão da sua landing page, e principalmente, de oportunidades de negócios e receita para a empresa.

Objeção mais comum:

Ok, entendido, mas minha
empresa é muito pequena e não consigo ter um time focado em crescimento, será que growth hacking também é pra mim?

A resposta é SIM. O mais interessante desta filosofia é sua busca por ações para alavancar RESULTADOS, e para isso você ou sua equipe não precisam ser gênios da computação ou algo parecido. Portanto, growth hacking não só pode como deve ser feita por empresas com operação bem enxuta. Mesmo empresas sem um time dedicado a isso já conseguem ter uma mentalidade e um processo para encontrar grandes alavancas de crescimento.

Mas então, como aplicar o growth hacking em meu negócio?

A aplicação do growth hacking pode ser realizada aplicando os 5 passos abaixo:

1. Brainstorming

Neste momento é essencial que você se livre de qualquer preconceito com relação a duas coisas:

  • Ao que você acha que precisa ser melhorado dentro da sua empresa, e;

  • Às ideias que serão levantadas por sua equipe

É muito importante estar de mente aberta para encarar, primeiro, a visão de todos da equipe sobre o que precisa ser melhorado e, depois, sobre as ideias sugeridas por todos. Aqui não existe ideia ridícula ou fora de propósito. Todas devem ser igualmente listadas para a análise a ser feita no passo seguinte.

Nesta fase é muito importante analisar o seu mercado de atuação, entender a fundo o que seus concorrentes estão fazendo, identificar oportunidades de ação, cases de sucesso, enfim, tudo que possa dar subsídios para o levantamento de ideias.

2. Seleção de ideias

Nesta etapa é muito importante fazer uma classificação das ideias levantadas e definir uma ordem de prioridade. Uma ferramenta que pode ajudar neste processo é a Matriz GUT. A elaboração da Matriz GUT não tem muito mistério. Entendendo cada atributo que a compõe fica ainda mais fácil. Dá uma conferida em cada um deles:

Gravidade:

Como a palavra diz, é diretamente relacionado ao quanto o problema pode afetar a empresa. Perda de clientes, prejuízos financeiros e falência, por exemplo, são algumas das consequências que um problema grave pode trazer a médio ou longo prazo. Na Matriz GUT a gravidade é composta por uma graduação que vai do 1 ao 5, com o seguinte critério:

  1. Sem gravidade

  2. Pouco grave

  3. Grave

  4. Muito grave

  5. Extremamente grave

Urgência:

Neste ponto deve ser levado em consideração o prazo necessário para resolver um determinado problema. O quanto a questão requer solução mais rápida ou mais lenta, de acordo com sua gravidade e consequências. A graduação também varia de 1 a 5, de acordo com o seguinte critério:

  1. Pode esperar

  2. Pouco urgente

  3. Urgente

  4. Muito urgente

  5. Ação imediata

Tendência:

            Como você viu no início deste artigo, a tendência refere-se evolução possível da situação. Ou seja, o quanto ela pode se agravar se demorar a ser solucionada. Assim como os demais atributos, também tem uma graduação de 1 a 5:

  1. Não irá mudar

  2. Irá piorar a longo prazo

  3. Irá piorar a médio prazo

  4. Irá piorar a curto prazo

  5. Irá piorar rapidamente

Aprenda a montar a Matriz GUT

            Você já entendeu a importância dessa ferramenta e os itens que a compõem. Agora, é chegada a hora de saber como montá-la. Siga o passo a passo abaixo:

Passo 1: liste todos os problemas, situações e impasses que a empresa precisa resolver. Faça uma descrição detalhada de cada um para que todos os envolvidos na sua resolução fiquem cientes do que precisa ser feito;

Passo 2: faça a devida classificação de cada problema, dentro das três variáveis (gravidade, urgência e tendência). Defina com cautela, levando em consideração todos os aspectos envolvidos na situação que está sendo analisada;

Passo 3: é chegada a hora de fazer o ranking. As notas dos três critérios devem ser multiplicadas e os problemas classificados por ordem de prioridade, de acordo com esse resultado;

Passo 4: crie os planos de ação com prazos bem estabelecidos e defina os responsáveis por cada atividade necessária para resolver cada uma das questões levantadas na Matriz GUT.

fonte: http://daexe.com.br/matriz-gut/

3. Planejamento dos testes

Ideias selecionadas e prioridades de implementação definidas, chegou o momento de planejar os testes  e criar hipóteses que serão ou não confirmadas ao final.  Além disso, é muito importante definir uma data de início e final deste teste. Aqui vale a dica: Defina um período não muito curto para que tenha uma boa quantidade de dados a serem analisados e nem muito logo para que as ações de validação não se percam no tempo.

4. Execução dos testes

Aqui uma dica de ouro: Tome cuidado com a implementação porém, não busque a perfeição. Você pode se demorar na coleta dos resultados e o objetivo do growth hacking é o crescimento de forma rápida, portanto, evite ações muito complexas, afinal, trata-se de um teste,  e de nada vai adiantar perder um valioso tempo buscando a excelência em cada ponto e no final a ideia não ser validada. Seja prático e bastante objetivo na aplicação.

5. Análise dos Resultados

Aqui nesta etapa é importante você considerar 3 aspectos antes de validar ou não as hipóteses testadas:

  • Meu experimento ficou no ar por tempo suficiente?

  • A quantidade de pessoas que viram as hipóteses foi suficiente?

  • A diferença nos resultados entre um e outro experimento foi representativa?

É muito importante saber analisar os dados que você terá em mãos e entender se eles realmente não foram afetados por algum problema técnico. Depois de tudo ter rodado, é hora de validar ou não as hipóteses. Caso alguma hipótese tenha sido validada, ótimo, você pode voltar no teste e tentar aperfeiçoar ainda mais. Caso a hipótese tenha sido rejeitada, volte, identifique os motivos e teste novamente, não descarte uma hipótese rejeitada após um único teste, esgote as possibilidades. É sempre importante buscar respostas para as hipóteses validadas ou rejeitadas. Assim você amadurece os processos dentro de sua empresa.

Algumas ferramentas que podem te ajudar na implementação de Growth Hacking em sua empresa

1.GOOGLE TRENDS

Já imaginou saber tendências do que as pessoas estão buscando no Google? Uma excelente oportunidade para construir páginas e até saber como oferecer seu produto com maior chance de ser encontrado pelos seus cliente. Mais legal, totalmente grátis! Conheça.

2.GOOGLE KEYWORD PLANNER

Com o Google Keyword Planner, é possível descobrir quais as palavras-chave são mais buscadas no Google de um determinado assunto ou mercado e, com isso, você obter insights para planejar novos assuntos para o seu marketing de conteúdo. Sabendo o que as pessoas mais buscam e criar conteúdos de acordo com este interesse, as chances de atrair o público que você precisa é muito maior.

3. SEMRUSH

SEMrush pode ajudar seu negócio de várias maneiras. Tudo começa com uma simples busca, a partir daí, você pode usar o SEMrush para encontrar palavras-chave relacionadas, incluindo volume, CPC e SERP data, informações digitais dos concorrentes, e tantas outras informações relevantes para criar um plano de marketing digital que você nunca imaginou. São muitos dados estratégicos à disposição.

4. CANVA

Claro que também usamos e recomendamos essa para produzir imagens rápidas e infográficos de alta qualidade para compartilhar nas redes sociais.

Gostou do artigo?  Deixe seu comentário se houver dúvidas, sugestões, o que você tem mais dificuldade e quais estratégias você já implementou e que deram certo.

Até a próxima!

Gutemberg FernandesComentário